Mercado Livre amplia impacto na América Latina

Estudo da Euromonitor aponta também que o ecossistema do Mercado Livre impactou mais de 500 mil PMEs e foi fonte principal de renda para 900 mil famílias só em 2020. No Brasil, 93 mil novas PMEs passaram a integrar o Mercado Livre, sendo 7 em cada 10 empresas familiares

São Paulo, 30 de setembro de 2021 - O Mercado Livre gerou 6 novos empregos por hora durante o ano de 2020, se consolidando como o principal meio de geração de renda para cerca de 900 mil famílias da América Latina. Mesmo em meio à pandemia, 84% das 500 mil PMEs que integram a plataforma na região conseguiram expandir suas vendas para outras regiões e atrair novos clientes. Estes dados foram identificados em estudo realizado pelo Mercado Livre em conjunto com a Euromonitor International, a fim de identificar a contribuição do seu ecossistema na geração de empregos, no crescimento econômico, na inclusão financeira e na transformação digital da América Latina. No Brasil, os impactos foram expressivos em toda a cadeia, contribuindo para a reconstrução da economia.

Ainda de acordo com o estudo, 40% das PMEs receberam sua primeira oferta de crédito por meio do Mercado Pago e 6 em cada 10 empréstimos concedidos no período foram destinados para capital de giro (inventário, equipamentos, logística e emprego). Até dezembro de 2020, foram concedidos 1,7 milhão de créditos a 550 mil vendedores por um valor médio de US$ 325. Cobranças via cartão aumentaram a renda de 62% dos empreendedores, dos quais mais de 40% não possuem ou não utilizam conta bancária. Além disso, a maioria realizou sua primeira cobrança via cartão através das soluções do Mercado Pago.

"Os resultados da pesquisa comprovam o tamanho e força do impacto positivo do nosso ecossistema na economia da América Latina, especialmente em um período tão desafiador quanto o que vivemos na pandemia”, destaca Stelleo Tolda, presidente de Commerce do Mercado Livre para a América Latina. “No Brasil, praticamente dobramos o número de vendas em nossa plataforma no ano passado, em comparação a 2019, e com isso milhares de novos empregos foram criados. Nossa contribuição fiscal saltou 142% no período, mais do que o dobro dos impostos pagos em 2019, tendo o Mercado Livre contribuído com 1 em cada mil reais arrecadados em impostos no Brasil”, completa.

A pesquisa apontou ainda que 50% das PMEs brasileiras, que integram a plataforma do Mercado Livre, declararam que não teriam sobrevivido ao ano de 2020 sem os serviços e oportunidades geradas pela plataforma. Como consequência, os produtos comercializados pelo Mercado Livre representaram 4,9% de todo o varejo nacional no período. “Além do e-commerce, observamos ainda a importância da inclusão financeira, sobretudo, em um período onde muitas portas se fecharam. 7 em cada 10 PMEs registraram aumento de vendas em função dos recursos oferecidos pelo Mercado Pago”, pontua Stelleo.

Na análise geral do impacto socioeconômico, o estudo revelou que o Mercado Livre gera empregos e impacto positivo em 17 setores da economia, sobretudo na logística, sendo que mais de 2 mil PMEs da região prestam serviços ao ecossistema de comércio eletrônico e serviços financeiros. O estudo também demonstrou que o crescimento do Mercado Livre é uma consequência direta do sucesso de milhares de pequenas empresas familiares e empreendedores da América Latina que, por meio de sua transformação digital, estão gerando empregos e um valor econômico e social apesar do contexto da pandemia.

Julia Rueff, diretora sênior de Marketplace do Mercado Livre no Brasil, comenta que as ferramentas oferecidas pela plataforma auxiliam na profissionalização e no desenvolvimento de pequenos negócios, permitindo a eles operar e competir no mesmo ambiente com marcas já estabelecidas. “Em 2020, por exemplo, 93 mil novas PMEs aderiram ao Mercado Livre no Brasil, somando mais de 270 mil. Desse total, 70% delas são familiares e quase 20% lideradas por mulheres”, ressalta a executiva. “Em meio à crise gerada pela pandemia, o marketplace foi um importante caminho para empreender e continuar gerando renda para as famílias brasileiras. De 2020 para cá, mais de 126 mil novos vendedores se formalizaram e foram inseridos por completo nesse mercado”, completa.

rich-text-image

Destaques de Brasil em 2020:

  • Estudo realizado entre março e setembro de 2021, utilizando dados de 2020 e 2019, com foco na operação do Mercado Livre no Brasil, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

Penetração no varejo:

  • Em 2020, o Mercado Livre aumentou sua penetração no varejo da América Latina, quando mais de 174 mil novas empresas passaram a integrar seu marketplace;
  • No Brasil, os produtos comercializados pelo Mercado Livre Brasil representaram o equivalente a 4,9% de todo o varejo nacional.

Produtos vendidos:

  • Em 2020, o volume de itens comercializados quase dobrou em relação ao ano anterior, com a venda de 1,9 milhão de produtos por dia na América Latina;
  • No Brasil, o número de produtos vendidos diariamente foi de mais de 883 mil, crescimento de 54,8% em relação a 2019.

Geração de empregos:.

  • Na América Latina, foram contratados mais de 6 mil colaboradores em 2020, sendo a metade exclusivamente para a área logística;
  • No Brasil, as contratações superaram a marca dos 2,3 mil colaboradores no ano passado, sendo 1.300 vagas apenas para o setor de logística - Mercado Livre encerrou 2020 com 4.986 colaboradores diretos no Brasil.

PMEs:.

  • O Mercado Livre reúne mais de 500 mil pequenas e médias empresas na América Latina, representando 4,3% do mercado regional;
  • 4 em cada 10 PMEs da região vendem exclusivamente no Mercado Livre;
  • As empresas que vendem pelo Mercado Livre na América Latina têm, em média, 10 anos e vendem na plataforma há pelo menos 4;
  • 174 mil novas PMEs aderiram ao Mercado Livre em 2020, um crescimento de 180% em relação ao ano anterior - somente o Brasil adicionou 93 mil novas PMEs ao ecossistema;
  • No Brasil, a plataforma reúne mais de 270 mil PMEs, que representam 6% do total do país;
  • 65,5% das PMEs são familiares e 19,7% são lideradas por mulheres;
  • 90% das PMEs mantiveram ou aumentaram o número de funcionários apesar da pandemia;
  • 9 em cada 10 PMEs expandiram seu alcance para fora da cidade com a ajuda do Mercado Livre;
  • 9 em cada 10 PMEs atraíram novos clientes devido à sua presença na plataforma.

Serviços financeiros:

  • No Brasil, após a incorporação do Mercado Pago pelo vendedores, o uso médio de dinheiro em espécie por eles caiu 12% em 2020;
  • À medida que crescem, as PMEs brasileiras estão em melhor posição para obter financiamento:

- 24% delas tiveram seu primeiro crédito concedido pelo Mercado Pago no país;

- 19% das PMEs que integram o ecossistema do Mercado Livre receberam crédito via Mercado Pago no ano passado;

- Durante a pandemia, 20% delas mantiveram seus negócios abertos com o auxílio de crédito concedido pelo Mercado Pago;

- 7 em cada 10 PMEs que utilizam os serviços financeiros do Mercado Pago aumentaram suas vendas graças à fintech;

- 2 em cada 10 usuários puderam adquirir serviços online, como streamings, via Mercado Pago.

Baixar o

PDF do estudo

.